quarta-feira, 14 de março de 2018

Itajaí à Florianópolis

Bom pessoal, demorei para escrever sobre pois estava aproveitando um pouco o Konquest.

Primeiro gostaria de agradecer ao escritório Yacht Design, principalmente ao Cabinho. Bom o projeto é simples de construir e o acompanhamento do escritório é fenomenal. Ao Cabinho meu muito obrigado pelo apoio e elogios durante toda a construção. O que posso dizer é que escolhi bem o projeto e principalmente o escritório.

Bom saímos de Itajaí por volta das 17h do dia 21 de fevereiro, contudo a previsão não era das melhores pois era uma frente fria e seguiríamos as 40 milhas com vento contra e forte de 15 a 25 nós nas rajadas, então mudando o plano original de fazer a viagem em 1 dia e resolvemos fazer uma parada. Saímos de Itajaí com destino a porto Belo, ao Caixa d'Aço, a saída de Itajaí foi severa, ondas curtas, altas e de proa. O que fez o barco bater bastante e admito assusta, pois ainda não conhecemos bem o barco. Saímos com a grande do segundo rizo e uma braça da buja, o resto estava enrolada.

Mesmo com esse pouco pano, o barco navegava entre 5 a 6 nós no contravento. Fizemos uma perna de aproximadamente 1h em direção leste, para depois darmos um bordo em direção a praia de Laranjeiras. Depois de nos afastarmos umas 2 milhas do canal de acesso do porto de Itajaí, o mar ficou mais rolado, o que melhorou a navegação. Continuamos com boas médias até chegarmos próximos a Laranjeiras, onde o vento diminuiu e consequentemente o mar também, nossa média diminui para 4 nós mesmo com a buja inteira aberta.

Notamos que o stay de proa havia frouxado, acabamos esquecendo de por a cupilha e com o balanço  o mesmo frouxou o que nos impedia de usarmos a Genoa. Quando atingimos o través de Itapema, o vento caiu ainda mais o que nos deixou fazendo uma média de 3 nós.

Decidimos ligar o motor para nos empurrar até o destino, bom o motor não demorou a funcionar e novamente estamos fazendo 4,5 nós depois de uns minutos o motor soou o alarme de superaquecimento, desligamos o mesmo e fomos verificar todas as mangueiras. depois de alguns minutos e nada encontrado, ia abrir o mesmo para ver o rotor da bomba de agua, contudo resolvemos fazer mais um teste, e o mesmo funcionou e estava jogando bastante agua pelo escape, imaginamos que devemos ter pego uma sacola ou saco plástico na rabeta do motor o que diminui o fluxo de agua para o mesmo.

Chegamos ao Caixa d'Aço as 21:30, botamos nosso botinho na agua e fomos arrumar o stay de proa. Tudo resolvido, fomos comer um cachorro quente e dormir, pois no dia seguinte teríamos uma longa rota a cumprir. Navegamos 24NM nesse dia.


No dia seguinte saímos as 6h tínhamos algo entre 34 a 40MN para cumprir, saímos com uma brisa de oeste que não dava pra velejar. Fomos com a grande em cima e com o motor até a altura do Recanto dos  Padres, onde o vento virou para Sul, abrimos a genoa e seguimos com a proa em direção a ilha do Arvoredo, numa orça chegamos a fazer 6,5 nós como o mar liso e sem ondas, conforme íamos nos afastando da costa a corrente era mais intensa, então resolvemos dar um bordo em direção a Ilha do amendoim. Mas conforme nos aproximávamos da costa o vento diminuía, fomos nessa costura até próximo a ilha de Ganchos, onde uma nuvens de chuva se aproximaram e o vento entrou de sudeste entre 10 e 15 nós, colocamos a proa na direção da praia do Forte e de buja e mestra velejávamos a 5,5 nós, conforme nos aproximávamos da praia do forte o vento foi virando mais para leste, e com isso nossa proa agora apontava para a ilha de Ratones Grande, bom esse rumo era o ideal para alcançarmos a marina, mas como previsto próximo as 14h entro o sudeste com força, vento de 25nós e uns 30 nós nas rajadas, rizo nas velas e lá fomos nós com a proa agora para Biguaçu, depois de uns 30 minutos o vento abrandou, ficando com uma intensidade de 15 a 20 nós voltamos com toda a buja e seguimos em direção da marina, mas uma rondada de vento que agora soprava um pouco mais de  leste obrigando-nos a dar mais um bordo perto de Ratones pequena, depois mais um bordo e estávamos chegando na marina Santo Antonio. Atracamos por volta das 16h depois de 37MN.

Impressão do Barco maravilhoso, acho que realmente vamos nos divertir muito com o mesmo.

Bons ventos e até a próxima.

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Velejando...

Velejando...

Que saudades de usar essa palavra, depois de 5 anos de construção finalmente colocamos o nosso barco na agua. Sabe aquele friozinho na barriga, bom é isso que dá quando você coloca o barco na agua pela primeira vez. Assim que ele foi para agua a primeira reação foi pular dentro e chegar se não havia agua em lugar algum... mesmo com todos os cuidados esse é sempre o medo... mas depois de alguns dias na agua, vimos que o barco continuava seco. Isso é uma maravilha. Bom mas esse post é para falar do barco velejando, e isso é algo que me consumiu nos últimos tempos, pois todos que colocaram seu barco na agua não postavam os resultados. Ai ficava aquela pulga atrás da orelha, o barco é bom? Como veleja? é rápido? orça bem?

Vou resumir em uma palavra o que achamos do veleiro.... M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O :-)

O barco foi para agua no sábado e domingo montamos o velame, Buja + Mestra, faltou 2 moitões para montar a genoa, grande correio, com isso fomos para a agua somente com essas 2 velas.

Bom saímos na barra de Itajaí com a vela mestra no segundo riso e a buja toda em cima, timos uma brisa de 7 a 10 nós. Como não sabíamos o comportamento do barco saímos com menos pano. Assim que colocamos o mesmo para velejar sentimos que o barco estava com pouco pano. Levantamos a mestra toda e fomos para a velejada...

Nesse momento foi excitante, o barco ganhando velocidade e rompendo as pequenas ondas...

Segue 2 vídeos da primeira velejada....





Próximo post conto da travessia Itajaí à Florianópolis.

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Transporte

Bom finalmente no Sábado dia 17/02/2018 chegou a hora de colocar o Konquest na carreta e leva-lo para o mar.

Depois de diversos contatos, calcular os custos e verificar a viabilidade, resolvemos o seguinte. Colocar o barco na Agua em Itajaí. Contratamos a empresa Centrosul, obrigado Osmar, para fazer o transporte do barco de Guabiruba  para Itajaí. Devido as facilidades resolvemos coloca-lo na agua na Marina Itajaí, devido as facilidades que ela oferece, Obrigado Natasha.

Nosso dia começou as 8h da manhã preparando o barco para o transporte, isso consistia do desmonte do mastro, embalar as peças para não danificar.

Preparar o barco para ser colocado no caminhão com prancha, prender o berço e o barco. Fazer o transporte e  montar o barco em Itajaí.

Parece pouca coisa mas isso levou o dia inteiro. Mas no fim das contas deu tudo certo.











sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Chegando a hora

Bom pessoal, depois de um longo período sem postar nada, pois essa etapa de finalização é muito trabalho e muito pouco a mostrar.

Ontem foi um dia especial, nosso barco ganhou o seu nome e o seu numero de registro, e sua pintura envenenada.

No próximo post, se tudo der certo vai ser sobre o transporte...

Aguardem logo teremos novidades



sexta-feira, 3 de março de 2017

Temos um mastro

Finalmente colocamos o mastro no lugar, agora faremos a montagem dos enroladores para poder tirar a medida das velas de proa.

Optamos por colocar o mastro já para fazermos os cortes dos cabos de aço e colocar os norsimans



sábado, 18 de fevereiro de 2017

Atualização

Bom, faz tempo que não posto nada, mas isso não significa que a obra parou, devido a troca de emprego estou com menos tempo para trabalhar no barco, mas nas horas vagas sempre fizemos algumas coisas.

Atualizando o projeto.

- Elétrica ok
- Hidráulica ok
- Linha de combustível ok
- Motor ok
- Instalação do mastro, próximo passo.

Fora isso tivemos alguns detalhes na fibra para fazer. Alguns isolantes acústicos para instalar. Só não sei responder quando ele vai pra agua, pois sempre aparece mais uma coisa para fazer e assim vamos fazendo.

Segue o vídeo do texto do motor... fiquei muito contente com o resultado.





sábado, 23 de janeiro de 2016

Uma vista diferente...

Um amigo tirou essas fotos com um drone, ai temos alguns ângulos bem diferente do POP25.